Um pouco de história

Café com lógica

O projeto Café com Jurisprudência nasceu no dia 8 de setembro de 2003, uma segunda-feira, nas dependências do Quinto Registro de Imóveis da Capital de São Paulo.

Conforme noticiava o BE-Irib #819, a primeira edição do café com jurisprudência nascia com o objetivo de “congregar estudiosos do direito e de outras disciplinas conexas para debater não só temas técnicos de direito notarial e registral, mas proporcionar incursões em matérias como filosofia, religião, lógica, sociologia, história e cultura”.

“A idéia nasceu de uma simples constatação” – afirmou Sérgio Jacomino – “a de que os notários e registradores, bem como seus prepostos e demais estudiosos do direito registral, se esquecem de que o direito faz parte da vida concreta das pessoas. É preciso enxergar o direito numa dimensão social, dinâmica, integrada e interdependente. Esses objetivos de compreensão se alcançam com uma leitura multidisciplinar do direito”.

Café com lógica - Ricardo DIP - foto: 8/9/2003

A tertúlia filosófico-jurídica, coordenada pelo Des. Ricardo DIP, buscou integrar os alunos num exercício de conhecimento e de lógica, exercitando-se com base no texto Um ABC de lógica (para alunos de Direito) trabalho que estava sendo utilizado pelos estudantes da Universidade do Porto.

Ricardo Dip lançaria um repto: é preciso vencer a tendência de confortar-se às idéias prontas e acabadas. É preciso exercitar-se, colocar o pensamento em movimento, matricular-se na academia do espírito.

Aprende-se a escrever, escrevendo; aprende-se a andar, andando; aprende-se a pensar… pensando!, disse.

Alguém poderia questionar a concepção de um curso como esse – na verdade um encontro informal, uma parada para um café com jurisprudência – um café com lógica –, para tratar de temas tão distantes do dia a dia de um cartório, aparentemente alheados de suas atividades práticas.

“Não é dessa lógica, que estamos tratando” responde Jacomino. “Na verdade, a racionalidade do serviço ordinário não pode estar tão afastada de uma certa organização do pensamento de quem o executa. Caso se dê uma profunda cisão, corremos o risco de reproduzir tarefas de modo alienado. Estaremos investindo na repetição de certa praxe cartorária, cujos procedimentos podem ser, justamente, pouco racionais…”.

→ Veja: aqui as fotos do evento.

Café ultramarino

No dia 26 de setembro do mesmo ano, o Dr. Paulo Ferreira da Cunha, diretor do Instituto Jurídico Interdisciplinar da Faculdade de Direito da Universidade do Porto e Professor Catedrático de Direito Público e Filosofia do Direito, em visita a São Paulo, proferiu palestra sobre o ensino jurídico – “Memória e Prospectivas da Aprendizagem do Direito”.

Momentos antes do encontro Café com Jurisprudência, o ilustre jurista português elogiava a iniciativa e o tema inicial Café com Lógica, afirmando:

“Inovador, logo de cara o título – Café com Lógica – é muito cativante! Tem a função importante de despertar os jovens que iniciam por outros continentes e perspectivas jurídicas. Além disso, a lógica é fundamental para o Direito. Há juristas que nunca aprenderam sequer rudimentos de lógica e o que os vai salvando é a intuição. A intuição salva a deficiência da lógica formal. Para mim, é uma honra participar como palestrante deste encontro, com uma pessoa da preparação múltipla – teórica e prática – o Dr. Ricardo Dip. Eu gostaria até de me inscrever no curso…” – disse, com modéstia.

→ Veja aqui as fotos do evento.

Café mediático

Posteriormente, com início no dia 31 de agosto de 2007, o Café com Jurisprudência se amplia, alcançando agora 4 módulos, divididos entre expositores e debatedores de escol.

Ricardo Dip - foto de 31.8.2007

Ricardo Dip - foto de 31.8.2007

Desbordando de suas tradicionais cadeiras de madeira e almofadas, alcançava o mundo virtual.

Mas não se apoquente o aluno presencial, esse ser concreto que se desmistifica nos diálogos de valor pedagógico. O assoalhado que nos tem a todos haverá de nos manter unidos nessa trajetória que agora ganha alguns recursos tecnológicos, mas não se desnatura no modus e na essência.

Com transmissão feita ao vivo pela TVR – Uniregistral, sob a presidência do Dr. Flauzilino Araújo dos Santos, a nova edição do Café com Jurisprudência alcançava os alunos espalhados por todo o Brasil numa cifra inédita, com mais de 450 inscritos.

Realizado em Alphaville, com a abertura feita pelo Corregedor-Geral da Justiça de São Paulo, des. Gilberto Passos de Freitas, foram organizadas palestras, com colóquios e debates, pelo Des. Ricardo Dip, com a participação da Dra. Tânia Mara Ahualli, Dr. Vicente de Abreu Amadei, Dr. Marco Antônio Botto Muscari, Dra. Stefânia Costa Amorim, Dr. Luís Paulo Aliende Ribeiro, Dra. Maria Isabel Romero Rodrigues Henriques, Dr. Marcelo Martins Berthe, Dr. Eduardo Augusto, Dr. Flauzilino Araújo dos Santos, Dr. Ubiratan Pereira Guimarães, Sérgio Jacomino, dentre ooutros juristas.

Anúncios